Blog, Gênero Filhas da Terra: Jovens mulheres em movimento

3 de dezembro de 2020

Compartilhar

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Thaiane , 16 anos, indígena Pataxó, da Aldeia Tibá. Ela enfrentou dificuldades na sua carreira como jogadora de futebol

Eu comecei a jogar futebol em um projeto em Cumuruxatiba-Bahia, chamado Vila Escola Projeto de Gente. Tinha vários  projetos que a gente podia escolher e eu escolhi o futebol, depois disso me  apaixonei pelo futebol. Eu jogava todos os dias, e teve um dia que fui jogar em Guarani/prado-BA, e lá duas meninas que me viram jogando falaram para o treinador delas, sobre mim. Logo em seguida ele me mandou mensagem falando que queria me ver jogando. Então, no dia 01 de setembro de 2019 eu fui jogar no time dele, ele gostou muito do meu jogo e logo me convidou  pra jogar no campeonato Estadual de Itamaraju pelo time dele.

Certo dia ele me mandou mensagem falando que haveria um teste de futebol e perguntou se eu queria participar. Eu tinha falado com minha mãe que eu não ia porque eu não sabia jogar no campo e nem chuteira eu tinha. Estava tudo decidido que eu não ia participar dessa peneira, mas meus irmãos ficaram insistindo para eu ir. Então pedi emprestado uma chuteira e fui fazer o teste. Eu não estava indo na intenção de passar nesse teste, só fui pra pegar experiência para os próximos que iriam vir e joguei o que sabia, e pra minha surpresa acabei passando.

Depois  fui treinar em Posto da mata na Potencial Centrotec, que tem o objetivo de  formar atletas para mandar para times ou clubes.

Não é nada fácil essa vida de atleta pois temos que seguir muitas regras, tem que  ter disciplina, foco e determinação! Porque sem isso você não consegue.

Passei por várias dificuldades que dá até vontade de desistir, mas temos que ser fortes para conseguir atingir nossos sonhos. Eu admiro muito meu avô, ele é uma pessoa muito forte, guerreira, persistente e não desiste fácil das coisas, ele luta até conseguir. Bem, minha família é toda assim, então eu penso que eu tenho que lutar até conseguir meu objetivo. 

Eu já ouvi muitas coisas só pelo fato de eu ser menina, frases como: “meninas não podem jogar futebol, só quem joga é meninos “ e várias outras coisas. Não é fácil, mas com muita garra, fé, determinação, disciplina, eu vou conseguir.

Essas pessoas têm que parar com isso, porque mulher pode sim jogar futebol. Ela pode fazer o que quiser! Meu maior sonho é ser uma jogadora de futebol profissional ou entrar em uma faculdade para fazer educação física e ajudar minha comunidade

Entrevista da Thaiane para o Canal33


Confira a entrevista de Larissa na página 5

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Buscar