Blog, Gênero Quando um relacionamento se torna abusivo?

2 de dezembro de 2020

Compartilhar

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Esse texto nasceu de uma parceria babado entre Engajamundo e diversos Clubes da rede Girl Up Brasil! Dá uma olhada em todo mundo que fez isso aqui acontecer: Joyce Iorrane, Thayane Massopust, Larissa Moraes, Ana Rosa Cyrus, Du Dias Cardoso, Ana Luiza Silva, Beatriz Barreto Tavora, Giovana Alves, Camilly Nogueira, Maria Julia Vale, Carolina Buarque, Ana Carolina Santos da Silva, Camila Sant’Anna.

O que é relacionamento?

Nós não estamos sozinhes no mundo, e desde que o ser humano entendeu isso, ele percebeu uma coisa: quando a gente se junta com outras pessoas se torna mais fácil sobreviver.  Imagina aí, um mundão de séculos atrás, com eventos climáticos drásticos acontecendo direto e o ser humano ainda sem ter desenvolvido habilidades como a agricultura, fogo, etc? Se tornou mais fácil sobreviver em grupos do que sozinho, né, e a gente foi desenvolvendo essas habilidades juntes! <3

Ou seja, desde o comecinho da nossa existência neste planeta Terra nós somos seres sociais. E as formas de relação social são muitas também: desde relações mais íntimas (família, amigos, namorades), a relações profissionais (professores, gerentes, etc) . Então, já guarda daqui que relacionamento não é só o que temos  com crush, viu?

Mas então quando eu sei que um relacionamento se tornou abusivo?

O ser humano é um bixo emocionado, isso a gente já percebeu, né? Então é normal que em toda relação aconteçam algumas brigas, desentendimentos… não é sempre que a gente vai tá bem, e às vezes nos decepcionamos quando descobrimos que uma pessoa não é como a gente imaginou. Numa relação saudável, essas situações difíceis acontecem, e podem até durar algumas horas, ou dias, mas após esse tempo a gente acaba se resolvendo e seguindo de boa, né? Ou até percebendo que a química não bateu, e cada um segue sua vida sem maiores confusões.

O problema é quando esses desentendimentos se tornam disfuncionais, em especial para com um dos lados da relação. Traduzindo: algo funcional é aquilo que cumpre sua função: a gente se desentende, mas acaba encontrando um ponto comum, e o assunto acaba em pizza (às vezes literalmente, hehe), ou simplesmente nos afastamos de boa. Assim, disfuncional seria quando algo comum acaba tomando uma proporção tão grande na nossa vida que a prejudica como um todo. E assim, minha gente, não é porque uma relação é disfuncional que não haverão momentos aparentemente bons. O que você precisa ficar ligada é: qual o preço que eu estou pagando por isso? Um relacionamento abusivo, então, é quando alguém coloca nos seus ombros um peso que você não é responsável por carregar (mesmo que até consiga, aparentemente). 

Não é porque uma relação é disfuncional que não haverão momentos aparentemente bons…

Talvez você se pegue lembrando de alguns momentos muito desagradáveis, ou de pessoas que fazem você se sentir de um jeito ruim, e pergunte para si mesma, se essa coisa de “disfuncional” se aplica em algum de seus relacionamentos. Lembra que “relacionamento” não é só entre namorades, né? Você tem todo o direito de questionar atitudes vindas de qualquer pessoa com quem você mantém alguma relação: amigue, mãe, pai, gerente, líder, entre outros. Hoje, preparamos um quiz que pode te ajudar a refletir sobre as atitudes dessa pessoa, pensar como você se sente, ficar de olhos abertos e, se for o caso, buscar ajuda. É importante lembrar que você não está sozinha, por isso no final desse texto aqui você vai dar de cara com uma galera que tá aí diariamente acolhendo meninas e mulheres que estejam em busca dessa ajuda.

Agora, se você já foi vítima de agressões físicas, ameaças a sua vida, perseguição, não hesite em buscar ajuda! Ligue para o 180, entre em contato com uma das redes de apoio indicadas ao final do post, busque pessoas de confiança para estarem ao seu lado e DENUNCIE!

Reconhecendo sinais de um relacionamento abusivo

A gente elaborou um teste para te ajudar a identificar melhor sinais de um relacionamento abusivo. E só pra deixar tudo explicadinho: esse quiz não é decisivo, viu? Ele serve pra te fazer refletir, pensar nas situações e, quem sabe, ser um primeiro estalo pra você enxergar uma situação que não tá sendo legal pra ti. 

Você pode compartilhar esse Quiz >> https://bit.ly/raizesquiz <<

Menine, sinal de perigo aqui! O que eu posso fazer?

  • Converse com alguém da sua confiança

A gente não precisa passar por essas situações sozinhas, então se existe alguém em que você confie, chegue junto e peça ajuda! É importante que outras pessoas saibam o que tá rolando, elas podem também reconhecer sinais que nós, de dentro, acabamos não vendo.

  • Tenha uma rede de apoio

Em alguns casos isso se torna necessário. Se você está sofrendo agressão física, mora com seu agressor (ou ele está sempre por perto), se previna. Tenha amigos de sobreaviso que possam te acolher em situações difíceis. Se necessário, crie um código para que essa pessoa entenda  que você está em perigo sem que o agressor perceba que você está procurando ajuda. Um exemplo: um emoji específico, foto, mudar a imagem do perfil em rede social, etc. Sabemos que a denúncia formal nem sempre é acessível à vítima, então a rede de apoio será uma aliada inclusive para tomar essa iniciativa por você. 

  • Se puder, busque ajuda de um profissional da psicologia!

Se você está vivenciando essa experiência, possivelmente sua saúde mental está fragilizada. O psicólogo tá aí pra oferecer uma escuta especializada, e sem julgamentos. O espaço ideal para você abrir esse seu coraçãozinho de ouro! Se a grana tá curta e você não tem como pagar por uma terapia agora, dá um google e vê se na sua cidade tem alguma universidade que oferece esse serviço, pois muitas delas possuem clínicas onde os alunos de psicologia atendem de forma gratuita.

Lembre, às vezes você não reconheceu ninguém que te coloque nessas situações, mas pode ter se visto reproduzindo muitas delas com outras pessoas… Ajude!

E talvez, ao fim dessa leitura você pode ter percebido que algumas das suas atitudes podem estar sendo abusivas com alguém. O fato de você ter percebido isso mostra que ainda dá pra salvar o rolê! Então, o que fazer?

Reconheça que você não é dono da pessoa! Ela não precisa satisfazer suas vontades, e está tudo bem! Perceba que atitudes suas estão prejudicando este relacionamento e busque mudá-las.

Novamente recomendamos: procure ajuda profissional e reconheça as suas fraquezas! Isso é saudável para todes, inclusive você.  

Outro ponto é buscar perceber o quanto esta pessoa já foi prejudicada por suas atitudes, e o que pode ser feito sobre isso. Pode ser necessário que ela se afaste, e caso esta seja a decisão dela, você precisa permitir que isso aconteça! Não, não é legal ficar procurando a pessoa dizendo que mudou em uma semana e que sua vida não é a mesma sem ela. Respeite a pessoa, o tempo dela e a decisão dela. Se você viu que reproduz esses comportamentos, você provavelmente não quer continuar fazendo isso, né?

——- Mais informações ——-

Sobre o 180 e os serviços do governo para violência contra a mulher: https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/denuncie-violencia-contra-a-mulher/violencia-contra-a-mulher

Onde encontrar serviços gratuitos de psicologia: https://drauziovarella.uol.com.br/coronavirus/coronavirus-tratamento-psicologico-gratuito/; https://catracalivre.com.br/cidadania/projeto-acolhe-vitimas-de-violencia-domestica-na-quarentena/amp/ 

Rede de apoio a mulheres cis e trans, e homens trans, que sofreram algum tipo de violência: https://www.mapadoacolhimento.org/; https://instagram.com/justiceirasoficial 

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Buscar