Blog, Rede Engaja Dia da Árvore. Mas elas agonizam.

21 de setembro de 2020

Compartilhar

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Por Paola Reis (Porto Alegre) e Clariana Monteiro (São Paulo)

O Dia da Árvore é comemorado mundialmente com a chegada da primavera. Sendo assim, a data varia de acordo com as características físico-climáticas de cada país: no Brasil, a comemoração é feita no dia 21 de setembro, e tem como objetivo principal a conscientização a respeito da preservação desse bem tão valioso.

O termo árvore não é utilizado para referir-se a todos os grupos de plantas. Árvores caracterizam-se por serem plantas lenhosas – produzem madeira como tecido dos caules – de grande porte que apresentam um caule do tipo tronco. A parte inferior do tronco das árvores é livre de ramificações e a parte superior é folhosa, formando a chamada copa.

As diversas espécies de árvores exercem papéis fundamentais na regulação dos ecossistemas, como:

  • aumentam a umidade do ar graças à evapotranspiração;
  • mantendo os solos firmes, evitam erosões e enchentes;
  • produzem oxigênio no processo de fotossíntese; também diminuindo a poluição;
  • reduzem a temperatura, melhorando o clima
  • são barreiras contra o vento
  • fornecem sombra e abrigo para algumas espécies animais,
  • oferecem alimentos, principalmente as árvores frutíferas

Devido à sua grandeza (literal e figurativamente), a árvore é um dos maiores símbolos do meio ambiente. As árvores compõem as florestas, que além da sua importância ecossistêmica, é base para cerca de 1,6 bilhões de pessoas no mundo que dependem delas para a própria subsistência, ameaçada pelo modelo predatório de exploração imposto pelo capitalismo.

Isso pois acostumou-se muito a falar das aplicações das árvores para os humanos, mas essa visão fez com que por muito tempo as árvores fossem tidas como objetos econômicos, e não seres, que possuem também sua força enquanto parte da natureza! O nome do nosso país inclusive deriva de uma árvore, o pau-brasil, amplamente explorado, reforçando esse simbolismo.

Em virtude da grande quantidade de utilizações, da expansão urbana e também da agropecuária (um agro nadinha pop!), as árvores são constantemente exterminada  resultando em grandes áreas desmatadas. O desmatamento e queimadas afetam diretamente a vida de toda a população, que passa a enfrentar erosões, assoreamento de rios, redução do regime de chuvas e da umidade relativa do ar, desertificação e perda de biodiversidade…

Sendo assim, o dia 21 de setembro deve ser visto como um dia de reflexão sobre nossas atitudes em relação a essa importante bem natural. Esse dia deve ser olhado muito mais do que o ato simbólico – e valoroso – de plantar uma árvore. Precisa ser encarado como um momento de mudança de postura e conscientização de que nossos atos afetam as gerações futuras. 

Nesse dia, nos apoiamos ao conhecimento tanto científico como o tradicional (o qual mantém relação sagrada com esses seres) para respaldar a necessidade de ação imediata dos governos e mobilização da população para resguardar nossos biomas. É importante lembrar que elas são tanto habitat de outros seres, como organismos dotados de vida por si só, que merecem ser respeitados e cuidados, como garante a constituição.

Proteger nossas florestas é também um ato de valorização a tudo que estava no planeta antes de nós, e ao que virá! Por isso hoje nosso chamado é para aprofundar essa conscientização a respeito da importância da conservação, lembrando que nesses tempos, ao invés de comemoração, precisamos de ação. 

Que tal se juntar ao Engaja para agir, junto com nossa campanha Plantaê? Mesmo tendo mudado muita coisa com a pandemia, outras tantas estão rolando. Então cola junto!

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Buscar