Blog, Clima, GTs, Juventude e Política O Engaja no Dia da Juventude da COP20

6 de dezembro de 2014

Compartilhar

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

tags:

, , ,

Além de fazer uma apresentação sobre a nossa iniciativa, o Engajamundo fez um flash mob para mostrar o vaor que devemos dar à Pachamama (mãe natureza) e outro que levou o Capitão Planeta a conhecer a Secretária Executiva da UNFCCC, Christiana Figueres. Além das ações criativas promovidas pela nossa organização, aberto pelo violino e pela voz de “Earth in Brackets”, o painel “Intergenerational Inquiry” foi um dos principais eventos do dia 4 de novembro na COP 20: o Dia do Jovem e das Futuras Gerações. Um jornada dedicada às aspirações e necessidades das jovens gerações. Compondo um terço de toda a população mundial, as jovens gerações herdam nosso planeta e, por isso, merecem um lugar especial em eventos da UNFCCC.

Em seu sétimo ano de realização, o debate “Intergenerational Inquiry” serviu, neste momento, principalmente para ilustrar o extenso trabalho realizado durante a COY10, a Conferência Internacional dos Jovens em preparação à COP20 no vizinho campus da Universidade La Molina.

Os expositores destacaram o fato de que a COY10 aconteceu graças aos esforços de mais de 80 estudantes peruanos, totalmente voluntários; muitos deles lidando pela primeira vez com encontros internacionais. A maioria deles sequer dominam a língua inglesa, a principal em eventos dessa natureza. Após 10 meses de preparação, eles foram capazes de gerenciar um evento de três dias que recebeu cerca de 900 pessoas de todo o mundo. O objetivo final da COY10 foi construir uma “Declaração da Juventude” abrangente e detalhada, em 14 pontos, explicando as posições da juventude em todos os tópicos que seriam negociados alguns dias depois nas tratativas oficiais. Trata-se do mais poderoso instrumento pelo qual a juventude pode se envolver diretamente no processo da UNFCCC.

Raquel Rosenberg, nossa coordenadora geral, foi uma das painelistas do evento e enfatizou os esforços que têm sido tomados para se alcançar este resultado: dinamizando a coordenação, ultrapassando as barreiras linguísticas – a grande maioria das pessoas na América Latina não fala Inglês – o que têm sido muitas vezes uma ferramenta eficaz para segregar uma grande parte da sociedade, incluindo os jovens, das discussões. “As coisas foram mudando desde a Rio + 20, quando os jovens dos hemisférios Norte e Sul uniram suas energias e compartilharam seus conhecimentos para definir e alcançar objetivos comuns: a participação direta da juventude e uma posição comum a fim de aumentar o poder do diálogo”, testemunhou Raquel.

“Nós não pretendemos ser negociadores: agimos de forma a tornar explícitas as demandas da juventude e deixar um legado para as gerações futuras. Os negociadores não entendem o ponto mais importante: que é nossa vida e a vida de seus filhos que estão em jogo”, disse Raquel. Uma manifestação geral de consenso veio do público depois que ela discursou: “A negociação sobre mudança climática não é um negócio. Nós precisamos cortar 80% do consumo de combustível fóssil. Hoje em dia, os homens dos documentos são os novos homens da guerra. Palavras, frases e declarações são suas armas. Eles estão escondidos entre linhas e entre parênteses. Mas a nossa vida não está à venda”.

Israel Maldonado, responsável pela COY11 em Paris, também anunciou as palavras-chave para a estratégia da juventude em Paris quando será assinado um novo acordo sobre o clima. São elas: solidariedade acima de nacionalidades, inclusão de todos e ação intergeracional, uma vez que uma mudança imediata é urgente e exige “mãos dadas” com a atual geração de políticos e delegados.

Infelizmente, tendo estourado o tempo, o painel não pôde ouvir devidamente a voz da juventude indígena: seria um sinal dos nossos tempos? Esperemos que não.

Publicado em: https://www.agenciajovem.org/wp/?p=21422

photo 3

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Buscar