Blog, Clima, GTs O que (não) rolou na 1ª semana na negociação de Bonn

Início da segunda semana de negociações e a nossa impressão é que nos aproximamos a passos largos para 4°C-6°C de aumento da temperatura da Terra, muito além dos 2°C necessários para assegurar a sobrevivência da humanidade e da biodiversidade neste planeta.11406563_10206675135136350_8257952980776801941_o

Mediar um acordo climático global em detrimento da aceleração das economias de fato não é realista para a maioria dos países, principalmente aos desenvolvidos.
As intenções de Contribuições Nacionalmente Determinadas (iNDCs) evidenciam nossas impressões – elas estão pouquíssimo ambiciosas, como por exemplo a lançada esta semana pelo Japão, de redução de 18% de suas emissões em relação a 1990, o que em termos absolutos significa quase nada.
Mas nem tudo é desanimador por aqui! Depois de sediar a última COP, o Perú apresentou ontem sua meta, surpreendendo positivamente pela inclusão não só de uma meta ambiciosa  em mitigação, mas também relacionada a adaptação (o que todos também deveriam estar fazendo, mas não estão), definitivamente fazendo seu dever de casa ao propor uma redução de 31% de em relação ao mesmo período de 1990.
O tema financiamento mostra-se mais uma vez o monstro da negociação. Cumprir com a meta de 100 bilhões para o ano 2020, que sustente as mudanças necessárias, principalmente em países em desenvolvimento, está bem longe de ser alcançada. O tema é tão delicado que apenas 10 milhões estão garantidos até o momento, e não houve nenhum novo anúncio aqui em Bonn como aconteceu em Lima no ano passado. Portanto, a crítica fica cada vez mais clara – continuamos socializando o dano ambiental e privatizando os lucros provenientes dele.
O gol de placa da semana foi o protagonismo da juventude brasileira junto às discussões do artigo 6 da Convenção, que trata de educação,  participação pública e acesso ao conhecimento. Portanto, o empoderamento e engajamento das populações acerca da questão climática está totalmente ligado a esta negociação! Após um árduo trabalho de lobby e articulação do Engajamundo nessas negociações, o posicionamento da juventude global foi incorporado e apresentado oficialmente pela delegação da República Dominicana – saberemos hoje se ele entra no documento final.
E por falar nisso, “Artigo 6” é um jeito nada sexify de falar desse assunto por aqui, imagina então pra quem está do lado de fora dessas negociações… Que tal contribuir para encontrarmos uma nova maneira de tratar de um assunto tão importante? A Secretária Executiva da UNFCCC, Christiana Figueres, lançou esta semana uma campanha online para elegermos este novo nome. Participe via twitter! Algumas sugestões da nossa equipe aqui em Bonn: #empowerment #engagement #engagement&empowerment. Use a hashtag #article6 e mande sua ideia para a UNFCCC também =)
Por Thaianna Cardoso, parte da Delegação do Engajamundo em Bonn SB42
FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Buscar