Blog, Conheça, Rede Engaja Transição do Comitê Facilitador 2019

21 de março de 2019

Compartilhar

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Texto escrito por Larissa Moraes, articuladora do Rio de Janeiro, e Kinda, a nova CF!

“Transição”, passamos por um bocado delas na vida, e dentro da nossa ONG pensar na saída de duas divas – a Diva e a Flá – e a entrada de duas novas caras e visões de mundo, é pensar na reestruturação de toda a atuação dessa instituição que trabalha com xovenzinhos do Brasel inteiro. Foi uma semana bem intensa e cuidadosamente pensada pelo comitê facilitador junto às parceiras e nossa mentora Mari Miranda. Mas este processo começou muito lá atrás.

Já em outubro toda rede de articuladores recebeu o email com a notícia da abertura do processo de transição e a novidade que esse ano essas vagas seriam afirmativas: por estarem saindo duas manas, as vagas seriam para duas mulheres e além disso, seriam prioritárias para mulheres negras. Por quê?  Porque o Engaja tem no perfil dos seus voluntáries 56% de negros/as, porque gostamos da nossa rede com a carinha do que somos e porque mulheres negras precisam ocupar esse espaço. Porque sim né! Ficamos felizes de como o Engaja desde o início foi parido por mulheres incríveis, então nunca tivemos dificuldades para estar nesse espaço – tudo nosso hehe – mas queríamos que as carinhas dentro do CF – quem administra a ONG – fossem tão diversas quanto é no dia a dia da rede. Todo esse processo não seria possível sem a voz de articuladoras como Melinda, de Salvador, que levantou essa pauta; das inquietudes de Paulo Ricardo do EngajaFeira durante o Encontro Nacional de 2017; das provocações da nossa rainha Thayná Yaredy, parceira do Engaja pela DeFEMde e o Me Representa, que levou a pauta racial para os encontros regionais de 2018 e não menos importante, do próprio CF que sempre fez valer a abertura e horizontalidade na construção do Engaja.

Além disso, outros jovens participaram desse processo como forma de envolver mais voluntários nas formações e tomadas de decisão. Entender o que é o dia a dia do Comitê, assim como aprofundar e refletir sobre seu papel dentro da ONG, foi o objetivo do processo de aproximação. No total tivemos 13 jovens inscritos, mas acabou que 3 desses voluntários não puderam participar da semana de imersão em São Paulo por motivos de ordem pessoal. Então tivemos 10 jovens prontos para se jogar no processo de aproximação/transição do CF, entre eles, dois meninos que super enriqueceram nossa vivência. Desde então, tivemos cada um(a), um(a) mentor(a) que ficou responsável por nos acompanhar nessa jornada, fazendo um mergulho na história e valores do engaja e explorando nossos contextos atuais de vida. Por mais que de início só uma pessoa tivesse apresentado interesse em ocupar a vaga, fomos todes pra semana de imersão em SP abertes e entendendo que não estavam procurando pessoas prontas para estar naquele local, mas minas que estivessem dispostas a aprender junto e doar tudo de si para o crescimento e fortalecimento da rede.

Da Mands e da Flá, a gente guarda nossa profunda admiração e gratidão por terem feito o que o Engaja é hoje. O que seríamos sem a Flá pra organizar todo esse financeiro doido – que de doido só tem a complexidade, porque é organizado no capricho – e sem a Mands, jogando todo seu glamour desde o início da história dessa ONG e gerindo essa rede maravilhosa?! Desejamos a elas toda a sorte nos próximos passos. Onde forem brilharão muito e não nos abandonem – somos suas plincesaaaaaas!! Para quem entra, a certeza de que vai fazer o melhor e do seu jeitinho, vamo crescer redeee, vem novidade! Mas o que foi que aconteceu mesmo nessa tão falada semana? Deixa eu te contar!

Você, leitor, leitora ou leitore maravilhose, que chegou até esse momento, escutou tudo de planejamento e expectativa acumulada sobre essa semana que nós passamos em São Paulo, encarando o dia a dia do CF. O que eu vou te contar agora é sobre como foi o nosso choque de realidade. Com isso em mente, acho que a primeira informação que você tem que ter é: Éramos um grupo de dez pessoas em um apartamento com um banheiro só.

Essa é a galera que participou de toda essa semana de imersão!

Tá vendo esses rostinhos lindos? Pois é, essa galera toda e só um banheiro. Além disso, também éramos responsáveis pela limpeza, organização e a alimentação durante toda a semana. Aí você deve estar se perguntando: Esse povo todo foi para São Paulo para ficar cuidando de casa? Então, deus me livre, mas quem me dera. Essas eram apenas algumas das coisas que tínhamos que dar conta todos os dias. Podemos dizer que vivenciamos a aproximação com o CF, mais a experiência de passar por um intensivão sobre como morar fora da casa dos pais.

A segunda informação para você ficar atento é: Missões. Apelidadas carinhosamente pelo CF, essas partes não envolviam coisas relacionadas à casa, nem à alimentação. Elas consistiam em atividades que a gente teve que cumprir no decorrer da semana, que refletiam em questões que a Flávia, a Amanda [Diva], a Nayara, o Mathaus, o Iago e o Pelac têm que lidar todos os dias. As missões diziam respeito à logística do encontro, ao financeiro, a comunicação, a escrita de projetos, ao processo de relatoria sobre o que se desenrolou ao longo dessas atividades, a tomada de decisões e ao planejamento futuro da rede, visando a aproximação cada vez maior entre os voluntários e o Comitê Facilitador. Essas pessoas maravilhosas que estão gerindo o Engaja organizaram a semana de imersão de modo que também tivéssemos o que eles chamaram de sessões, que nada mais eram do que momentos em que cada um deles explicava uma função executada pelo CF (captação de recursos, comunicação, financeiro, entre outros), antes de nós, o grupo participando da imersão, colocarmos a mão na massa para fazer a missão acontecer.

Tem mais umas coisinhas que eu queria jogar na roda, que aconteceram nessa semana também e que até agora eu não faço ideia de onde isso me atingiu.

Uma delas foram as atividades de corpo que o Pelac preparou para o grupo e que aconteceram no início de todos os dias. É consensual entre a gente, o Pelac é o guru oficial do Engajamundo porque ele manja pra caralho! (foi mal, galera. Era inevitável em algum momento rolar uma piada interna por aqui. Foi uma semana de convivência intensa). Esses eram os momentos que a gente tinha pra relaxar, mas também era o espaço pra gente perceber o outro e entender melhor o próprio corpo. Vou mandar uma dica para as pessoinhas desse Brasil que estão lendo o texto. Encham um saco plástico com água e passem pelo corpo de vocês. Melhor massagem da vida!

Outra coisa foi que várias pessoas contribuíram para deixar a semana da imersão mais especial (além, é claro, das princesas do CF que eu já citei em outra parte do texto). Entre elas, temos as mulheres donas de São Paulo inteira, a linda da Thayná Yaredi e a espetacular Mari Miranda, que nos fizeram chorar, rir, trocar experiências e nos sacudir inteiros para que tirássemos o máximo do que a imersão poderia nos oferecer. Teve também o Projeto Sonora que nos transportaram para vários lugares através dos sons. A Debs, uma das co-fundadoras do Engaja, que esteve junto com a gente pensando em estratégias para a próxima jornada de aproximação.

E tiveram também momentos que não estavam no planejamento e que mesmo assim aconteceram e foram incríveis. Como a foto protesto, no dia 14 de março, por estarmos completando um ano ainda sem saber quem mandou matar Marielle Franco. Ou a Greve pelo Clima, um movimento que ocorreu no mundo inteiro na sexta-feira, dia 16 de março, em protesto contra as  mudanças climáticas.

 

Ações que participamos durante esses sete dias

A semana encerrou com chave de ouro. Só queria destacar isso mesmo. Porque, através da metodologia da Democracia Profunda, votamos em duas minas negras, que são de fora do eixo do sudeste para ocupar as vagas que surgiram com as saídas da Flá e da Diva. Foi tanta gente chorando de felicidade, realização e com sensação de dever cumprido nesse momento que vocês nem imaginam. Foi lindo de ver. Sem mais.

 

Bom, saímos com a sensação de missão cumprida: O Engaja tem duas minas pretas no CF. Kinda, de Feira de Santana/BA, e Thalita, de Manaus/AM, chegam junto com todas as ancestralidades e potências de suas vozes, o que era nossa expectativa com esse processo. Mas foi só sensação mesmo!!  Para elas o desafio está apenas começando. Nos próximos meses estarão de mudando pra SP e o frio na barriga já começa daí. Além disso, temos muito trabalho fruto dessa semana. Preparem-se, vários projetos maravilhosos estão por vir e notícias quentinhas do nosso Encontro Nacional 2019 também.  Quer se sentir mais próximo do que foi essa imersão?! Assista ao vídeo!

Da esquerda para a direita: Mari Miranda – a facilitadora; Thalita e Kinda – as novatas no CF; Marrye e Amanda – corajosas que toparam participar desse processo louco 🙂

Acho que vamos deixar vocês com um último barulho. Sobre o quanto o Engajamundo é uma rede especial e como ele é mais que o CF. A força está também nos voluntários e no amor que todos nós temos pelo o que acreditamos. E como tudo isso faz a rede do Engaja ser o que é: diversificada, apaixonante e empolgada.

 

 

 

 

FacebookTwitterPinterestLinkedInEmail

Buscar